Serra do Cipó – MG

Serra do Cipó – MG

nov 1, 2013

Nossa pequena aventura começou quando fui convidado pelo Hebert a fazer um pedal na Serra do Cipó em MG.

Sem conhecer qual era a distância de São Paulo até lá e como estávamos ambos em férias, preparamos as bikes e um dia antes de sair, quando fui consultar o mapa quase desisti pois ficava 100 km acima de Belo Horizonte, isto é aproximadamente 750 km de São Paulo. Mas mesmo assim saímos logo pela manhã (6h30) em direção à rodovia Fernão Dias e Belô. No caminho uma visita na Cachaçaria João Mendes, na cidade de Perdões em MG (+ – 100 km de BH) umas das  cachaças melhores de Minas Gerais. Chegamos por volta de 17h00 no vilarejo da Serra do Cipó e logo fomos procurar alojamento. A Vila possui diversas pousadas com sites, e que podem ser consultados para reservas. Lembre-se que durante a semana e na baixa temporada os preços são menores. Dá para negociar. Finais de semana e alta temporada, a reserva é obrigatória, sob risco de não encontrar vagas

Dia seguinte, após o café da manhã, conhecemos a Vila e já direto para o Parque Nacional da Serra do Cipó. Fica uns 4 km da Vila, estrada de chão batido onde podemos avistar diversas pousadas.

A região é rica, com paisagens deslumbrantes, muitas nascentes de água e rios que correm em cima de pedras, daí a pureza e limpeza das águas. A vegetação é típica de cerrado.  Para caminhar dentro do parque paga-se uma pequena taxa, efetua-se o registro do visitante, e escolhe-se uma trilha.

Cânions, cachoeiras, mirantes, etc… todos bem sinalizados mas com grau de dificuldade médio pois, apresentam pisos com bastante areia e pedras. Poucas subidas íngremes porem, devido à grande quantidade de pedras soltas, torna-se um pouco difícil e exige um esforço adicional. Algumas vezes encontramos trechos de single trek muito divertidos e para atravessar pequenos córregos e rios, carregar as bikes é a opção mais segura.

O Parque possui duas entradas. A principal bastante sinalizada e utilizada pelo turista que dependendo da disposição e fôlego dos trilheiros, pode-se percorrer 20 a 30 km por dia. Vale apena apreciar os deliciosos banhos de cachoeira e rios. A outra entrada, um pouco mais rústica e menos sinalizada, só deve ser procurada e utilizada com auxílio de guias a serem contratados na própria  Vila ou na próprias pousadas. Tentamos encontrar o caminho de algumas cachoeiras (parte de cima da trilha) sem guia, mas não conseguimos. Mas encontramos paisagens maravilhosas e muita diversidade de fauna e flora.

Dentro do Parque não existe pontos para alimentação ou hidratação, assim deve-se levar o que será consumido durante o trajeto. Não se esqueça de levar também o saquinho para trazer seu lixo de volta pois, Biker consciente não faz sujeira pelas trilhas.

Vale muito à pena conhecer este parque.

Grau de dificuldade: fácil – médio

Distancia dentro do parque: Numa pedalada de + – 35 km é possível conhecer os principais pontos interessantes.

Tempo: dependendo da parada nos pontos turísticos  dá para fazer em aproximadamente 8 horas.

Passeio pela entrada secundária procurar guia.

Texto e Fotos: Almir Abraão / Itapecerica da Serra/SP.