Trilha das Torres-SP

Trilha das Torres-SP

jul 13, 2011

A TRILHA DAS TORRES – SP

Também conhecida como Trilha dos Macacos, este trecho nos leva mais adiante, no caminho das encostas da Serra do Mar, ladeando penhascos e riachos que descem a serra, formando belas cachoeiras.

Considerada uma trilha bem técnica, exigindo certa perícia dos pilotos, também é vista como uma das mais bonitas da região. Acompanhando o caminho percorrido pelas torres de transmissão de energia, o ponto mais interessante fica localizado no topo de um morro, de onde avistamos, facilmente nos dias mais claros, a cidade de Cubatão e a orla marinha.

A trilha, inicia-se de forma despretensiosa ligando algumas estradinhas cascalhadas e bem batidas, utilizadas pelos carros de manutenção da Eletropaulo, dando a falsa impressão de uma trilha de alta. No entanto, quando começamos a subir seus aclives, rapidamente percebemos que as dificuldades surgirão inesperadamente. No início desta trilha encontramos alguns treeiros (entre eles o tal alemão..!!) que nos seguiram por um bom trecho.

Vale a pena citar que, a despeito da fiação elétrica seguir um caminho retilíneo, as torres são colocadas no solo, acompanhando os desníveis do terreno, obrigando-nos a subir e descer uma sucessão interminável de pirambeiras e morros.

Acrescente a isto, o terreno extremamente úmido, característica marcante dos trechos de serra, e ainda as erosões formadas pelas enxurradas das chuvas, que são freqüentes na estação de verão.

Antes de chegarmos ao Ribeirão das Torres, nome atribuído pelos treeiros da região ao belo riacho que encontramos, passamos por uma longa e técnica descida, cravejada de erosões e cavas muito lisas.

Qualquer descuido com o freio dianteiro é chão na certa.

Após esta descida, chegamos a um atoleiro muito curioso, formado por uma espécie de argila branca, muito consistente, que tende a segurar firmemente a moto, mesmo na acentuada descida.

Neste mesmo ponto, no caminho de volta, tivemos que rebocar praticamente todas as motos utilizando cordas, pois era impossível conseguir tração neste terreno.

A bota afundava até a altura dos joelhos, sendo difícil até mesmo, retirar o pé do lamaçal espesso e grudento. Acredito piamente que este é o tipo de barro que encontramos no Inferno..!!!

ÊTA BARRINHO MALDITO …!!PQP ….!!!! VSF ….!!!!

Terminada a descida do Barro Branco, chegamos ao riacho. Verdadeiro oásis para os sedentos trilheiros

Interessante citar que, percorrendo riacho acima encontramos uma clareira, relativamente espaçosa, onde os Jipeiros construíram mesas e bancos toscos para um churrasco de improviso. Encontramos até mesmo carvão, seco e pronto para uso, devidamente armazenado envolto em sacos plásticos.

Apesar disto, nenhum papel ou lixo foi encontrado no local, evidenciando que o sentimento de preservação e respeito ao Meio Ambiente é marca registrada da nação trilheira, esteja ela sobre 02 ou 04 rodas.

Bem, o caminho de volta, pirambeira acima, foi um pouco mais complicado como vocês podem ver nas fotos más, nada que um trabalho em equipe não resolva.

Uma dica valiosa:

As pedras do leito do riacho são extremamente lisas e escorregadias, portanto seja cauteloso no acelerador, evitando derrapar e submergir com sua bike na água. Se isto acontecer, entrará água no motor e nesta situação você NUNCA deve acionar a partida.

Isto provocará calço hidráulico e literalmente arrebentará seu motor. Levante a moto na posição totalmente vertical, deixando a água escorrer pelo cano de escapamento, retire a vela, seque-a e dê partida no motor sem a vela. A água restante no motor será expulsa pelo orifício de encaixe da vela.

Nesta ocasião contamos com o apoio dos trilheiros de SBC e Embu Guaçu. Galera muito legal e companheira, nos guiou pela trilha com total segurança, permitindo que desfrutássemos de uma das mais belas trilhas já documentadas pelo PORTAL DA TRILHA.

 

Em pé da esquerda para a direita: Mineirinho, Jacaré, Juarez, Pinga, Luiz, Amarildo e Zé Guilherme. Agachados: Rodrigo, Guiga, Celso e Caires.

Um forte abraço a todos.

Agora, se você optou por fazer esta trilha mas não tem companheiros suficientes ou tem receio por não conhecê-la, entre em contato com a gente via email …….

Nós realizaremos encontros e trilhas pela região para que você também possa participar afinal, o PORTAL DA TRILHA tem como maior finalidade, promover o esporte, preservando o Meio Ambiente e integrando a nação Off Road do estado de São Paulo.

Matéria e fotos: Zé Guilherme